terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Pessoa Jurídica ou Pessoa Física?

A Igreja é pessoa jurídica ou pessoa física? Nenhum dos dois. A Igreja é Pessoa Moral, conforme preceitua o Código de Direito Canônico:

Cân. 113 § 1. A Igreja católica e a Sé Apostólica são pessoas morais pela própria ordenação divina.
§ 2. Na Igreja, além das pessoas físicas, há também pessoas jurídicas, isto é, sujeitos, no direito canônico, de obrigações e direitos, consentâneos com a índole delas.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Furto de Hóstia


Segunda passada, na missa das almas, às 19h, na Igreja de Santa Rita de Cássia, no Centro do Rio, o frade que comandava a comunhão desconfiou de três mulheres com marcas de rituais de candomblé nos braços, desceu do altar e foi ver se elas haviam posto a hóstia na boca.

Um bafafá se formou.

Uma delas, meu Deus, havia escondido a hóstia no... sutiã! -- e, por isso, escapou da revista.

As outras duas acabaram devolvendo.

As moças cumpriam missão dada por uma entidade do terreiro que frequentam.

As três hóstias seriam usadas... num trabalho.

(fonte: Jornal "O Globo" de 13 de novembro de 2011 - escrito por Ancelmo Goes)

(crédito da imagem: Associação dos Devotos de Fátima
http://www.adf.org.br/home/2011/09/os-milagres-de-santo-padre-pio-de-pietrelcina/hostias/)

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Ódio contra a Santa Igreja



Divulguem o máximo que puderem.


Deixo de comentar, pois o vídeo fala por sí:


Roma 15-10-2011 - VIDEO Imagem de Nossa Senhora é destruida por black block durante manifestaçao dos "indignados":



terça-feira, 13 de setembro de 2011

Campanha "Comente"

Fui presenteado com este selo pelo meu amigo João Batista, moderador do magnífico blogue http://jbpsverdade.blogspot.com/ cuja leitura eu recomendo.

Nota explicativa que acompanha o selo: Esse selo foi idealizado por Jonathan Cruz, no intuito de incentivar os comentários nos blogues. Acredito que "comentar" não seja apenas escrever na postagem do Blogue, mas também comentar com outras pessoas sobre as publicações ajudando assim no apostolado. O comentário na própria postagem tanto serve para o autor do Blog quanto para quem visita; o comentário é uma complementação da postagem, serve de incentivo, de correção, de indicação, de referencias e também para complementa-lo com informações e pareceres pessoais.

Porém “comentar” com os amigos (seja pessoalmente ou pela internet) as postagens lidas de um blogue, contribui de forma especial para a sua difusão e ajuda enormemente no apostolado. Comentar com os amigos, torna o blogue conhecido e atrai outras pessoas para as quais o seu conteúdo possa fazer algum bem.

Agradeço ao João Batista pelo presente e pela oportunidade de poder dizer essas palavras sobre os comentários e a difusão dos ideais do blogue que é sempre a defesa da Santa Igreja Católica Apostólica Romana.

A todos os que visitarem meu blogue repasso este selo.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

Nossa Senhora foi atacada


O Jornal "O Globo" de terça-feira, 6 de setembro de 2011, trouxe uma notícia terrivel: "Pichadores atacam igreja de 203 anos em São Fidélis". São Fidelis é uma cidade do norte do Estado do Rio de Janeiro no Brasil.

Campos -- A Igreja de São Fidélis de Sigmaringa, no município de São Fidélis, no Norte Fluminense, uma das mais importantes do interior do estado, foi atacada por vândalos no último domingo -- dia em que o novo bispo de Diocese de Campos, dom Roberto Paz, que assumiu há menos de um mês, celebraria sua primeira missa no templo.

O padre daquela paróquia, Luiz Carlos Reis de Amorim, contou que a porta lateral da igreja foi arrombada e os invasores fizeram várias pichações com spray de tinta. A mais chocante, de acordo com ele, foi a pichação da imagem de Nossa Senhora, instalada no altar principal, que foi toda coberta de tinta. -- Não temos qualquer pista de quem está por trás dessa agressão, mas o fato é que isso parece intolerância religiosa -- disse o padre Luiz.

A Igreja de São Fidélis de Sigmaringa tem 203 anos, foi construída por dois frades capuchinhos, que eram arquitetos, e segue o estilo dos templos de Roma.

A Igreja de São Fidélis de Sigmaringa é a maior referência do município, que tem cerca de 40 mil habitantes. Foi a partir da construção do templo que a cidade nasceu. Os católicos estão revoltados com os atos de vandalismo.

(Aloysio Balbi) - Foto (http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/09/05/igreja-de-sao-fidelis-atacada-por-vandalos-no-dia-em-que-novo-bispo-celebraria-primeira-missa-925295520.asp)

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Catecismo Anticomunista

Catecismo Anticomunista

Dom Geraldo de Proença Sigaud

I. O QUE É O COMUNISMO E O QUE ELE ENSINA

1 Que é o comunismo?
O comunismo e uma seita internacional, que segue a doutrina de Karl Marx, e trabalha para destruir a sociedade humana baseada na, lei de Deus e no Evangelho, bem como para instau­rar o reino de Satanás neste mundo, implantando um Estado ímpio e revolucionário, e organizando a vida dos homens de sorte que se esqueçam de Deus e da eternidade.

2 Qual é a doutrina que a seita comunista ensina?
A seita comunista ensina a doutrina do mais completo materialismo.

3 Que ensina o materialismo comunista a, respeito de Deus?
O materialismo comunista ensina que Deus não existe, e que só existe a matéria.

4 Contenta-se a seita comunista em ensi­nar que não há Deus e que só existe a matéria?
A seita comunista dá grande importância a um materialismo pratico, em que o homem cogita se Deus existe ou não, mas procede, pensa e organiza sua vida sem se incomodar com Deus nem se lembrar dEle. Assim; aos poucos chega também ao materialismo teórico.
O comunista verdadeiro é materialista teórico e prático, para poder levar seus prosélitos ao caminho aludido.

5 Que pensa a seita comunista a respeito da alma?
Para a seita comunista o homem é só matéria, e a alma não existe.

6 Que pensa a seita comunista a respeito da eternidade?
Para a seita comunista o homem desaparece totalmente após a morte. Não há Céu nem inferno, não há felicidade nem castigo depois desta vida.

7 Que pensa a seita comunista a respeito da natureza humana?
Para a seita comunista o homem é um simples animal; embora mais evoluído do que o boi e o macaco, não passa de animal.

8 Qual e a primeira conseqüência prática desta doutrina?
A primeira conseqüência prática deste materialismo é que o homem deve procurar sua felicidade somente nesta terra, e no gozo dos prazeres que a vida terrena oferece.

9 O homem, segundo pendi de Deus e da sua lei?
Não. Uma vez que só há mataria, o homem não depende de Deus, que não existe; ele é supremo senhor de si mesmo.

II. ATITUDES DO COMUNISMO PERANTE A RELIGIÃO

10 A seita comunista dá importância à Religião?
Embora negue a existência de Deus, e afirme que a Religião é coisa quimérica, o comu­nismo dá grande importância ao fato de que existe Religião no mundo, porque vê nela o seu maior inimigo. Lenine a chama de “ópio do povo”.

11 Por que a Religião é inimiga do comunismo?
A verdadeira Religião, que é a Religião Católica, é inimiga mortal do comunismo, porque ensina exatamente o contrario do que ele ensina, e inspira os fieis a preferirem a morte às doutrinas e ao regime comunista.

12 Que faz o comunismo com a Religião?
Com a Religião Católica a luta do comu­nismo é de morte: só poderia cessar se chegasse a destruir em todo o mundo a Igreja verdadeira (o que e impossível). Quanto às outras religiões, a seita usa de duas táticas: quando sente que uma delas é um empecilho para a sua vitoria, ataca-a; mas se vem a perceber que se pode servir de alguma religião para se propagar, ou mesmo pala matá-la, então a tolera e até favorece na aparência, para a destruir mais radicalmente.

13 Para conquistar o poder, que faz a seita comunista com referência à Igreja Católica?
Para conquistar o poder, a seita comu­nista procede da seguinte maneira com relação à Igreja Católica:
a) Procura persuadir os católicos de que não há oposição entre os objetivos da seita e a doutrina da Igreja. Procura até apresentar as idéias comunistas como a realização da doutrina do Evangelho.
b) Procura criar urna corrente intitulada de “católicos progressistas”, “católicos socialistas” ou “católicos comunistas”, para desorientar e desunir os católicos.
c) Procura atirar as organizações católicas contra os outros adversários naturais do comunismo, como os proprietários, os militares, as autoridades constituídas, para dividir e destruir os que se opõem a conquista do poder pelo Partido Comunista.
d) Favorece as modas e costumes imorais para minar a família e portanto a civilização cristã da qual a família é viga mestra.
e) Mantém nas nações cristãs a sociedade em constante agitação, fomentando antagonismo entre as classes, as regiões do mesmo pais, etc.

14 Depois de conquistado o poder, que faz a seita • comunista com a Igreja Católica?
Sua tática com a Igreja Católica, depois de conquistado o poder, varia de acordo com as circunstâncias. Mas os passos da luta em geral são os seguintes:
a) envolver os católicos nos movimentos promovidos pelo Partido Comunista;
b) afastar os Bispos, Sacerdotes e Religiosos que resistem; se preciso, matá-los;
c) liquidar os líderes católicos;
d) separar a Igreja do país, da obediência ao Santo Padre.

15 Pode um católico colaborar com os movimentos comunistas?
A coisa que os comunistas mais desejam é que os católicos colaborem com eles. Quem começar a colaborar, terminará comunista. “Cola­borou? Morreu!”

16 Se o comunismo ensinasse que Deus existe, e tolerasse a Religião, os católicos poderiam ser comunistas?
No dia em que o comunismo admitisse que Deus existe, e que ele é Senhor nosso, já não seria propriamente comunismo.

III. PONTOS BÁSICOS DA DIVERGENCIA ENTRE COMUNISMO E CATOLICISMO

17 Então a divergência entre a seita comunista e o Catolicismo se verifica só no campo religioso?
Não. Além do campo religioso, há mui­tos outros campos em que as divergências entre a seita comunista e o Catolicismo são irredutíveis.

18 Em que outros pontos fundamentais existe esta divergência radical?
Esta divergência existe em todos os pon­tos. Mas ela é mais fundamental em relação à verdade e a moral, a família, a propriedade e a desigualdade social.

19 Que ensina o comunismo a respeito da verdade?
Ensina a Igreja que Deus criou o mundo e criou a alma humana, que é inteligente. A alma conhece a verdade das coisas. Ela afirma que urna coisa é idêntica a si mesma, dizendo o que é, é; o que não é, não é.
O comunismo ensina que não há verdade. Uma coisa pode ser e não ser, ao mesmo tempo. Uma coisa é ela e o contrário dela.

20 Então o comunismo não admite a verdade?
Não. Para o comunista não interessa que uma afirmação corresponda à realidade ou não.
Para ele, “verdade” é o que ajuda a fazer a Revolução. A mesma afirmação pode ser hoje e amanhã, sucessivamente, “verdade” e “mentira”, de acordo com a conveniência do Partido. As­sim, houve tempo em que Stalin era um herói para a seita comunista. Hoje é um bandido declarado.
Não há verdade objetiva.

21 Que outra grande divergência existe entre o comunismo e o Catolicismo?
O Catolicismo ensina que Deus é absolu­tamente santo. E por isto, as ações humanas que estão de acordo com Deus são boas; e as que vão contra a ordem que Ele estabeleceu são más.
O comunismo, – que é materialista, ensina que não existe moral. Quando uma ação e útil ao Partido, é boa; quando prejudica o Partido, e má.

22 Dê um exemplo.
Para o católico as boas relações dos fi­lhos com os pais constituem um bem.
Para o comunista, essas boas relações podem ser um bem, e podem ser um mal. Se os pais se opõem à Revolução, o filho deve odiá-los, denun­ciá-los, e, se for preciso, depor nos processos contra eles e até matá-los. Se os pais trabalham para a Revolução, o filho deve mostrar-lhes amor e colaborar com eles.

23 Poderia dar outro exemplo?
Outro exemplo seria o seguinte. Se o Brasil entrar em guerra contra a Rússia, o comu­nismo ensina que os brasileiros deverão trair sua Pátria, trabalhar para que os nossos soldados sejam derrotados e o Brasil dominado pelos soviéticos.
Mas, se por desgraça o Brasil passar a aliado da Rússia, os brasileiros deverão mudar de orien­tação e lutar pela vitória do Brasil.
Em resumo: é bom o que ajuda a Revolução, é mau o que a combate ou prejudica.

24 o comunismo ensina a respeitar as famílias?
Como o homem é um animal, a família vale tanto como um casal de bichos. Por isto o comunismo ensina a dissolver as famílias, a violentar as mulheres dos povos que não são comunistas, e a respeitar as “famílias” dos que o são.

25 Que aconteceria às nossas famílias católicas se o comunismo dominasse o Brasil?
Os pais que resistissem à profanação do seu lar poderiam ser mortos; as filhas e esposas ficariam expostas à violação; as famílias perderiam suas propriedades e seriam arruinadas e destruídas.

26 O comunismo acha que o Direito é sagrado?
Como não admite a existência de Deus nem da alma, o comunismo não reconhece a digni­dade do homem e nega que o Direito exista. Somente reconhece a força.

27 Pode dar um exemplo?
Se eu der um osso a um cão, este não adquire um direito ao osso. Posso lhe tirar o osso sem ferir nenhum direito. A razão é a seguinte: não tendo alma, o cão não é uma pessoa. Não sendo pessoa, não tem direito. Uma vez que para o comunismo o homem não é pessoa, e sim ani­mal, ele não tem direito. O Estado lhe dá o que quiser, e quando quiser lhe tira. O homem é menos que um escravo; é uma rês.

28 Qual é a definição do homem?
Para o católico: o homem é um animal racional, dotado de personalidade e de direitos.
Para o comunista: o homem é um animal trabalhador.

IV. A ESSÊNCIA DO HOMEM É SER TRABALHADOR

29 Qual é o papel do trabalho na vida?

Para o católico; o trabalho é meio de conseguir certos recursos que possibilitam ao ho­mem gozar dos bens que Deus criou para ele. O trabalho existe para o homem.
Segundo o comunismo, o homem existe para o trabalho. O trabalho é o fim da vida.

30 Se o homem é um animal trabalhador, deve ele trabalhar sempre?
Para a seita comunista quem não trabalha não é homem. Quanto mais o homem trabalha; mais homem é. Assim, ele pode mudar a sua própria natureza, vivendo somente para o trabalho.

31 Então o homem não tem uma natu­reza estável, que Deus lhe deu?
Segundo a doutrina católica, tem. Deus constituiu a natureza humana imutável. Para o comunista, uma lei universal levou a matéria até a forma humana. Esta forma está em evolução. É o homem que dá a si mesmo a sua natureza, mediante o trabalho. O homem é o criador de si próprio.

32 Quem deve, então, ser adorado?
Para o católico, Deus deve ser adorado, porque é o Criador do céu e da terra.
O comunista recusa adoração a Deus. Em vez de adorar ao Criador, ele adora o Estado co­munista e totalitário.

V. A REVOLUÇÃO E A CRISTANDADE

33 Qual é para o comunismo o critério supremo da verdade, da moral e do direito?
O critério supremo da verdade, da moral e do direito é para o comunismo a ação revolucionária.
Assim como para o católico o fim supremo é a vida eterna, para o comunista o fim supremo da vida é a Revolução.

34 Que e a Revolução?
Revolução, com maiúscula, é a rejeição de Deus, de Cristo, da Igreja, e de tudo o que deles provém, é a organização da vida humana somente segundo a razão humana e as paixões humanas. Seu ideal é a Cidade do homem sem Deus, oposta à Cristandade e à ordem natural, que é a Cidade de Deus.

35 Que é a Cristandade?
Cristandade é a sociedade temporal organizada segundo Deus, isto é, de acordo com o direito natural e a palavra de Deus, revelada por Jesus Cristo, transmitida, interpretada e aplicada à vida pela Igreja Católica.

36 Quais são os fundamentos da Cristandade?
Os fundamentos da Cristandade são dois: o direito natural e a Revelação, trazida por Jesus Cristo e transmitida pela Igreja Católica.

VI. VIRTUDES QUE FUNDAMENTAM A CRISTANDADE E PAIXÕES QUE MOVEM A REVOLUÇÃO

37 Sobre que virtudes se baseia a Cris­tandade?
A Cristandade se baseia principalmente sobre as seguintes virtudes: a fé, a castidade e a humildade.

38 Que paixões desordenadas são a mola da Revolução?
O orgulho, que rejeita a fé; a sensualidade que rejeita a castidade; a soberba, que rejeita a humildade, são as molas principais da Revolução.

39 Quais são as conseqüências destas paixões?
Do orgulho, que rejeita a fé, nasce a negação da vida eterna como fim da existência terrena, bem como a negação de Deus, e de Cristo como Senhor do homem.
Da sensualidade, que rejeita a castidade, nas­ce o desejo de gozar esta vida de todas as formas, e em conseqüência ela conduz ao desprezo e a dissolução da família.
E da soberba, que rejeita a humildade, nasce a revolta contra a autoridade divina e humana, e contra todas as limitações que o homem pode sofrer. De modo especial ela conduz ao igualitarismo, isto é, ao ideal comunista de uma sociedade sem classes.

40 Que se entende ai por classe social?
Classe social e um conjunto de pessoas — e suas respectivas famílias — cujas funções na sociedade são diversas, porém iguais em dignidade. Exemplo: advogados, médicos, engenheiros, fazen­deiros, oficiais das Forças Armadas, apesar da diversidade de suas funções, constituem com suas famílias uma mesma classe social. — Todas as classes sociais são dignas, mas não iguais em dignidade. Por exemplo: o trabalho manual é digno e foi até exercido pelo Verbo Encarnado; todavia, a dignidade do trabalho intelectual é intrinsecamente maior: o espírito é mais do que a matéria.

41 A que titulo a família faz parte da classe social?
De acordo com a lei natural e a doutrina da Igreja, a família participa de algum modo, não só do patrimônio, como da dignidade, honra e consideração de seu chefe, com o qual forma um só todo e a cuja classe social pertence. Sendo inerente à família a transmissão aos filhos, não só do patrimônio dos pais, como também, de certo modo, da honra e consideração que se prende ao nome paterno, a presença da família na classe so­cial dá a esta um certo caráter de continuidade hereditária.

42 Então uma pessoa não pode passar pare uma classe a que não pertence a sua família?
Pode. Não se deve confundir classe so­cial com casta. No regime pagão das castas existe entre estas uma barreira intransponível. Cada pes­soa pertence necessariamente, por toda a vida, à casta em que nasceu. Isto, quaisquer que sejam suas ações, boas ou más. Na civilização cristã, não há castas impermeáveis, mas classes sociais permeáveis. Ou seja, a pessoa pertence à classe em que nasceu, mas pode elevar-se a outra se tiver um mérito saliente. Bem como pode decair, em razão de seu mau procedimento. Assim, o princípio da hereditariedade se harmoniza com o postulado da justiça.
O comunismo, ao invés, quer uma sociedade sem classes, em que todos sejam iguais, no que contraria o princípio natural da hereditariedade e as exigências da justiça.

VII. O PROLETÁRIO É O ÚNICO HOMEM IDEAL, SEGUNDO O COMUNISMO

43 Se não há Direito, como pode, segun­do os comunistas, existir a sociedade?
A sociedade, segundo os comunistas, exis­tirá sem Direito: existirá pela força.

44 Em mãos de quem ficará a força na sociedade?
Aqueles que representam o homem mais perfeito hão de ter em suas mãos a força na sociedade.

45 Quem representa o homem mais per­feito, de acordo com o comunismo?
Segundo o comunismo, os proletários não tem nenhuma raiz que os prenda ao passado ou a sociedade presente, e portanto são os homens mais livres de limitações; são eles que, unidos, constituem a maior força revolucionaria. Para a seita comunista o proletário é, pois, o homem mais perfeito. De fato, em sua mentalidade não existem os “entraves” e as “degenerescências” que ligam as outras classes à ordem social vigente.
Por isso mesmo, a seita o considera como o instru­mento ideal da Revolução.

46 Que devem fazer os proletários, de acordo com o comunismo?
De acordo com o comunismo, os proletários devem mover guerra às outras classes, e im­plantar a ditadura do proletariado, que pela violência extermine a Igreja, o Clero, os nobres, os ricos, os proprietários, os que se realçam pela inteligência, todos os homens independentes, e assim destrua tudo o que se opõe á Revolução.

VIII. A LUTA DE CLASSES

47 Como se chama esta oposição entre os proletários e os demais cidadãos?
Esta oposição se chama luta de classes.

48 Esta luta durará muito?
Para os comunistas, esta luta não termi­nará senão quando no mundo inteiro só houver a classe dos proletários, isto é, dos trabalhadores que não têm nada de próprio.

IX. A PROPRIEDADE, A VIDA HUMANA E A ESCRAVIDÃO DO OPERARIADO

49 O indivíduo, no regime comunista, não pode possuir nada?
No regime comunista o indivíduo não é dono de nada. Tudo é do Estado.

50 O comunismo não admite por vezes o direito de propriedade?
Quando está no poder, o comunismo às vezes concede o uso de algum imóvel a um ou outro trabalhador. Mas não reconhece o direito de propriedade, pois pode tomar tudo a todos, quando quiser. O homem, no regime comunista, não tem sequer direito ao fruto do seu trabalho.

51 No regime comunista ninguém é, en­tão, dono de nada?
No regime comunista ninguém é dono de nada: nem do dinheiro, nem da fábrica, nem do campo, nem da casa, nem da profissão, nem de si mesmo. Tudo é do Estado, tudo depende do Estado.

52 Então o regime comunista é de escravidão?
O regime comunista estabelece a mais completa escravidão, pois não reconhece ao ho­mem nenhum direito.

53 O comunismo respeita a vida humana?
Não. Uma vez que o homem não passa de animal, o comunismo trata a vida humana como nós tratamos a dos bois. Se fôr preciso, mata-se. Assim, para dominar a Rússia foi preciso assassi­nar cerca de 20 milhões de russos, ou fuzilando-os, ou deixando-os morrer de fome. Nos campos de concentração da União Soviética, ao tempo de Stalin, calcula-se que havia 16 milhões de homens e mulheres de todas as categorias, padres, intelectuais, operários, que trabalhavam como escravos e acabaram morrendo de miséria. Para conquistar o poder, os comunistas chineses assassi­naram vários milhões de pessoas. Para dominar os católicos da Espanha, as milícias bolchevistas mataram onze Bispos e 16.852 Sacerdotes e Religiosos, bem como muitos milhares de pais de família.

54 No regime comunista, o operário pode se queixar, fazer greve, trocar de serviço?
Não. O Partido marca onde o operário deve trabalhar. Neste trabalho ele deve produ­zir o máximo. Não pode reclamar, e nem é bom pensar em greve, porque quem pensar vai para o degredo na Sibéria, para um campo de concentra­ção ou para a forca. No regime comunista o operário não tem direito algum.

55 Os comunistas mantêm sempre os operários na miséria?
Até hoje a situação material dos operários em todos os países comunistas é em geral miserável. Todavia, a Rússia promete que no ano 2000 os trabalhadores russos terão a mesma situa­ção que têm atualmente os seus colegas ocidentais. O comunismo não se interessa pelo bem-estar dos operários senão enquanto ele é útil para a Revolução, por isso, se os operários, obtido o bem-estar, começam a desobedecer, volta de novo a miséria. O comunismo trata os trabalhadores como reses, ou como escravos. O senhor de es­cravos dava-lhes comida porque lhe interessava que eles fossem fortes e sadios, para poderem trabalhar. Mas, se em dado momento parecer ne­cessário às autoridades comunistas reduzir gravemente o padrão de vida da classe trabalhadora, em favor do desenvolvimento das industrias do Estado ou do seu poderio militar, fá-lo-ão sem hesitação, pois para elas o operário é escravo e o escravo não tem direito.

56 Nos países não comunistas, o comu­nismo quer melhorar a situação dos operários?
Não. Nos países não comunistas o comunismo quer que os operários fiquem tão miseráveis, que cheguem ao desespero, e assim provoquem greves e desordens, as quais os comunistas apro­veitarão para derrubar o governo legítimo e im­plantar a sua ditadura.

57 Nos países dominados pelos comunis­tas não há diferenças de riqueza e de classe social?
O comunismo promete abolir as diferenças de riqueza e de classe. Mas isto é contra a natu­reza humana. Destruindo a moral e o direito, o comunismo favorece um grupo de dirigentes e de membros do Partido, que dispõem de grandes ri­quezas e vivem com fartura e luxo em casas sun­tuosas, enquanto o operário em geral passa privações, e obrigado a trabalhar onde o Partido manda, tem para morar somente um quarto, onde se amon­toam os pais, os filhos e todos os membros da família, sem cozinha, nem banheiro próprios. A diferença entre os que mandam e os outros é mui­to maior que entre os capitalistas e os operários.

X. O PAPEL DE SATANÁS

58 Quem inventou este regime?
Quem inventou este regime foi Satanás, que sabe que o melhor meio de levar os homens à perdição eterna e fazê-los rebelarem-se contra a ordem constituída por Deus.

59 Como que Satanás consegue adeptos para este regime?
Prometendo aos homens o paraíso na terra se eles renunciarem a Deus e ao Céu, Satanás con­segue enganá-los como o fez a nossos primeiros pais, e o resultado é o inferno na terra e na eter­nidade.

XI. A VIOLÊNCIA E A LIBERDADE

60 Como se implanta o regime comunista?
O regime comunista é implantado, em ge­ral, pela violência. Os comunistas procuram che­gar ao poder de qualquer modo: por eleições, por pressão de tropas estrangeiras, por golpes arma­dos. Uma vez no poder, destroem toda oposição, e implantam a ditadura, em nome do proletariado.

61 Então são os operários que passam a mandar?
Não. Os operários não mandam. Eles passam a situação de escravos, trabalham onde o governo os manda trabalhar, não podem se afastar dali; recebem o salário que o governo quer e, se reclamam, podem até ser fuzilados.

62 O comunismo admite direito, à greve?
Nos países que quer dominar, o comunis­mo exige que a lei estabeleça o direito de greve; e organiza paredes para desmantelar a economia nacional. Mas, uma vez dominado o país, não to­lera a greve em nenhuma hipótese, e sujeita o operário à mais tirânica escravidão

63 É somente pela violência que o comunismo é implantado?
Em geral o comunismo é implantado pela violência; mas ele é preparado por muitas atitudes dos cristãos.

XII. O MATERIALISMO DO OCIDENTE PREPARA O CAMINHO DO COMUNISMO

64 Que atitudes dos cristãos preparam a vitória do comunismo?
Como o comunismo nasce do materialismo, da sensualidade e do orgulho, o materialismo prático dos cristãos que vivem como se não houvesse a eternidade cria o caldo de cultura em que o bacilo comunista prolifera.

65 Dê alguns exemplos destes materialistas práticos.
Posso dar os seguintes exemplos: quem só se preocupa com ganhar dinheiro; quem pro­cura gozar dos prazeres da vida, embora lícitos, sem se interessar pela prática da oração e da peni­tência; quem se entrega ao jogo; quem freqüenta lugares suspeitos; quem se veste com sensualidade, sem modéstia; quem dança as danças modernas; quem lê revistas obscenas ou sensuais; os freqüen­tadores do cinema e da televisão imorais; quem se desinteressa pela graça santificante, pecando como se não houvesse pecado.

XIII. A IGREJA E OS OPERARIOS

66 Que tem feito a Igreja pelos pobres e operários?
A Igreja, ao longo da Historia, aboliu a escravatura, defendeu os fracos e pobres, ensinou os ricos e poderosos a amparar os humildes, difun­diu a justiça e a caridade. Organizou os trabalha­dores em grandes sociedades chamadas corporações, que cuidavam de sua formação técnica, de sua prosperidade material, do bem espiritual deles e de sua família, lhes davam assistência na doença e cuidavam dos seus filhos em caso de morte. Estas associações sofreram um golpe de morte com a Revolução Francesa, mas duraram em muitos países até as agitações do ano de 1848; na Alemanha elas ainda existem.

67 Depois de 1848 a Igreja não fez mais fada pelos operários?
O individualismo introduzido pela Revolução Francesa destruiu as corporações católicas e deixou os operários entregues à própria sorte. Então a Igreja empreendeu um grande trabalho em favor deles, simultaneamente em três pontos.

68 Qual foi a primeira frente que a Igreja atacou?
A Igreja Católica procurou, de início, principalmente minorar a miséria das pessoas. Para este fim multiplicou as Santas Casas, os orfanatos, asilos para velhos, Oratórios festivos, creches, e obras de assistência social. Assim é que, para dar um exemplo, no Estado de São Paulo, atualmente, de cada cem instituições de caridade ou de assistência, oitenta são mantidas pela Igreja Católica. Os comunistas não mantêm nenhuma. As vinte restantes pertencem a outras igrejas, às organizações leigas e ao Poder público. Nos outros Estados do Brasil, a proporção de obras mantidas pela Igreja é ainda maior. E note-se que as instituições de caridade e assistência mantidas e dirigidas pela Igreja funcionam admiravelmente. Basta ver um hospital dirigido por Religiosas.

69 Qual foi a segunda frente que a Igreja atacou?
Enquanto fundava e organizava instituições de caridade e de assistência, a Igreja lutava para corrigir os defeitos da sociedade que geravam tanta miséria. Desde o Papa Pio IX, e principalmente no pontificado de Leão XIII, Ela insistiu com os ricos, os patrões, o Estado e os trabalhadores para que se lembrassem da ordem social que Deus quer e Jesus Cristo fundou, e se aplicassem a melhorar as condições de vida do operário. Os Papas ensinaram que o trabalho não é mercadoria, e que o homem que trabalha tem direito a um salário nas seguintes condições: a) que lhe permita viver com dignidade; b) que dê para criar e educar os filhos; c) que possibilite ao trabalhador diligente e econômico formar um pecúlio que melhore a sua situação e lhe garanta o futuro.

70 Os ensinamentos dos Papas tiveram resultado?
Os ensinamentos dos Papas já modificaram completamente, em muitos países, a mentalidade dos patrões e dos operários, e melhoraram felizmente as condições destes últimos. Mas a Igreja continua a insistir, e o atual Pontífice, Sua Santidade o Papa João XXIII, publicou há pouco a Encíclica “Mater et Magistra”, em que ensina mais uma vez como os patrões devem tratar os trabalhadores, para que haja justiça, caridade e paz.

71 Qual foi a terceira frente em que a Igreja empreendeu o grande trabalho em favor dos operários?
A Igreja, enquanto atendia as misérias mais gritantes e imediatas, e ensinava aos patrões e operários como devia ser as suas relações de acordo com a justiça e a caridade, promovia a organização destes e daqueles em associações, que se chamam corporações, círculos operários, etc. Estas organizações formam nos vários países grandes confederações, como na França a Confederação dos Trabalhadores Cristãos, na Itália a Asso­ciação Católica dos Trabalhadores Italianos, no Brasil a Confederação dos Círculos Operários, etc.

72 Em que mais os Papas insistiram?
Os Papas insistiram em que os operários se unam, para juntos defenderem os seus direitos, respeitando, porém, os direitos dos patrões. Os Papas aconselham a estes que, na medida do possível, melhorem o salário e as condições dos trabalhadores, dando-lhes mais do que o estritamente justo.

73 Quais os Papas que mais se salientaram , na ação em favor dos direitos do operário, e da justiça e harmonia entre as classes sociais?
Todos os Papas se têm desvelado pela melhora da dura situação que começou para os operários com a Revolução Francesa. De um modo especial devem-se mencionar os seguintes Pontífi­ces: Leão XIII, autor da Encíclica “Rerum Novarum”; Pio XI, autor da Encíclica “Quadragesimo Anno”; João XXIII, autor da Encíclica “Mater et Magistra”.

74 Que Papas se salientaram na luta contra o comunismo?
Todos os Papas, de Pio IX a João XXIII, tem condenado o comunismo. A Encíclica “Divini Redemptoris” de Pio XI trata especialmente do assunto, com grande, clareza e vigor. Durante o pontificado de Pio XII, a Suprema Sagrada Congregação do Santo Ofício fulminou com a pena de excomunhão quem pertence ao Partido Comu­nista ou colabora com ele.

75 Quais as conseqüências práticas desta excomunhão?
Os membros do Partido Comunista e os que com ele colaboram não podem receber os Sacramentos nem ser padrinhos de batismo, confir­mação e casamento, ficam privados de enterro reli­gioso e sepultura eclesiástica, e não se pode cele­brar em público: missa em sufrágio de suas almas.

76 Os comunistas têm direito de divulgar suas doutrinas, de viva voz, ou pela imprensa, rádio e outros meios de propaganda?
Não. Segundo a doutrina católica o erro não tem direito de ser difundido. Cumpre ao Poder Público proibir-lhe a propaganda.

XIV. O SOCIALISMO

77 Haverá outro meio de preparar os homens para o comunismo?
Outro meio de preparar os homens para o comunismo é o socialismo.

78 Que vem a ser o socialismo?
O socialismo é o sistema que professa que todos os meios de produção, de transporte, o ensino, a assistência, toda a propriedade, devem per­tencer ao Estado.

79 Para o socialismo, qual é o papel do individuo?
Para o socialismo o individuo é meio e não fim da sociedade. Por isto o Estado deve se ocupar de tudo, e cuidar do indivíduo em todos os setores, deixando a este somente aquilo que o Estado mesmo não pode fazer.

80 Neste caso, o socialismo é o mesmo que o comunismo?
Não. O fim de um e outro é o mes­mo o estabelecimento de uma sociedade sem classes, a abolição da propriedade privada e da inicia­tiva privada, e a entrega ao Estado de todos os meios de produção. A diferença está em que o socialismo procura alcançar estes objetivos com meios brandos, usando da propaganda doutrinária e das eleições, enquanto que o comunismo prefere recorrer à violência. Os meios são diferentes, mas o fim é o mesmo. O socialismo é como uma rampa pela qual o mundo desliza suavemente da ordem natural e divina para o comunismo.

81 Há formas moderadas de socialismo?
Há formas moderadas de socialismo. Tais formas existem sempre que se exagera, em medida maior ou menor, a ação do Estado, em detri­mento da iniciativa individual ou da propriedade privada.

82 Pode o católico ser socialista?
O católico não pode ser socialista, porque o socialismo contradiz a doutrina da Igreja, que estabelece o seguinte princípio: o Estado existe para realizar as tarefas de bem comum de que nem os indivíduos, nem as famílias, nem as socie­dades intermediárias são capazes por si mesmos. Este princípio defendido pela Santa Igreja, e de modo especial pelo Santo Padre João XXIII na Encíclica “Mater et Magistra”, chama-se o “prin­cípio da subsidiariedade”.

83 Que dizem os Papas sobre o socialismo moderado?
Os Papas dizem que, consistindo o socialismo, ainda que moderado, no exagero da ação estatal, é sempre condenado, porque incompatível com a justiça e a ordem natural estabelecida por Deus.
Por isto disse Pio XI que o socialismo — mesmo quando moderado — “não pode conci­liar-se com a doutrina católica” (Encíclica “Qua­dragesimo Anno”).

84 Que dizer então do chamado “socia­lismo cristão” ou “católico”?
O chamado “socialismo cristão” ou “socialismo católico” e uma aberração tão grande como se alguém falasse de um protestantismo católico ou de um círculo quadrado.

XV. A CONQUISTA DO POVO — AS ELITES E A MASSA

85 Qual a técnica que o comunismo usa para conquistar as elites?
A técnica usada pelo comunismo para conquistar as elites consiste em promover o convívio e a colaboração delas com núcleos da seita. Os comunistas aos poucos as vão levando a pen­sar à maneira materialista. Levam-nas primeiro a agir como materialistas, para terminarem pensando como materialistas.
Os comunistas usam também um processo de mudança da maneira de pensar, em geral sem dis­cutir, que denominam de “lavagem cerebral”.

86 Que meios usa o comunismo para conquistar as massas?
Os grandes meios utilizados pelos comu­nistas para conquistar as massas são a revolta e as promessas. Pela revolta, o comunismo açula a classe operária contra os ricos. Pelas promessas desperta nos corações a inveja e a cobiça. Para conquistar as inteligências do povo usa da propa­ganda, menos para convencer do que para saturar os cérebros com as idéias que convêm ao Partido, e tirar as que lhe são contrárias. Ao Partido não interessa se a propaganda diz verdades ou menti­ras: o que interessa é martelar até que a idéia pegue.

XVI. OS PONTOS MAIS VISADOS; A REFORMA AGRÁRIA

87 Quais são os pontos mais visados pela seita comunista em sua campanha para domi­nar um país?
Os pontos mais visados pela campanha comunista no primeiro período, que e o da des­truição da sociedade católica, são os seguintes: direito de propriedade, forças armadas, pátria, fa­mília, e sobretudo a Religião. Para quebrar todas as resistências, procura-se encher o povo de ódio contra tudo isto.

88 Que reformas o comunismo apregoa, para dominar um país?
Para dominar um país o comunismo apre­goa a necessidade de várias reformas. A primeira é a reforma agrária, depois vem a reforma ur­bana, a comercial e a industrial, todas elas de caráter mais ou menos acentuadamente expropria­tório e socialista.

89 Em que consiste a reforma agrária que os comunistas querem?
Os comunistas, tomando por pretexto a situação não raras vezes lamentável do trabalha­dor rural, e a conveniência de favorecer-lhe o aces­so à condição de proprietário, promovem o con­fisco das propriedades rurais grandes e médias. Desde que haja só propriedades pequenas, caem todas sob o controle absoluto do Estado.

90 De que maneira uma tal reforma agrária prepara a Revolução desejada pelo comunismo?
De tal reforma agrária o comunismo tira diversas vantagens:
a) ela destrói as elites rurais, coluna indispensável da ordem social;
b) cria uma grande desordem no campo, com lutas, violências, homicídios;
c) daí nasce uma grande penúria e grande fome no campo e na cidade;
d) assim se enfraquece a nação e se leva o povo ao desespero. Com isto as resistências anticomunistas ficam prejudicadas, e o Partido pode dar o golpe da Revolução.

91 A Igreja concorda com uma reforma agrária que viole o direito de propriedade?
A Igreja condena toda reforma agrária que não respeite como sagrado o direito da pro­priedade, seja do grande fazendeiro, como do pe­queno sitiante. Em ambos os casos este direito é sagrado.

92 Que reforma agraria a Igreja abençoa?
A Igreja abençoa uma reforma agrária que atenda aos seguintes pontos fundamentais:
a) respeito pela legítima propriedade, qual­quer que seja o seu tamanho;
b) fornecimento por parte do Estado, de assistência técnica, social e financeira ao lavrador;
c) colonização da imensa reserva de terras inaproveitadas da União, Estados e Municípios;
d) concessão de crédito aos grandes proprietários que queiram dividir e colonizar suas terras;
e) concessão de crédito a juros baixos e prazo longo, para os agricultores que queiram adquirir terras, montar suas fazendas ou sítios;
f) assistência religiosa e educacional aos homens do campo;
g) facilitar a formação de cooperativas agrícolas, livres, de iniciativa particular;
h) facilitar o armazenamento e transporte dos produtos da agricultura.

93 A Igreja proíbe a expropriação de uma gleba para fins sociais?
A Igreja admite a expropriação de uma gleba para fins sociais, mas com grandes cautelas:
a) é preciso que se trate de alcançar um bem comum proporcionadamente grande, ou de afastar um mal proporcionadamente grande;
b) é preciso que não haja outra solução que não seja dispor da gleba;
c) é necessário que se tenha antes tentado, sem êxito, a aquisição amigável do imóvel;
d) é necessário que o dono receba, no ato da desapropriação, e em dinheiro, o preço justo, correspondente ao valor real e atual do imóvel, seja esse valor grande ou pequeno.

94 Há casos especiais de desapropriação?
Sim. Por exemplo, se a finalidade da obra a ser executada em determinada gleba o exi­gir, o Estado poderá desapropriar, além desta, as glebas vizinhas, a fim de que a obra aproveite ao maior número de pessoas.

XVII. O IDEAL DO COMUNISMO: A SOCIEDADE SEM CLASSES; O IGUALITARISMO

95 Qual o ideal remoto da sociedade comunista?
A sociedade comunista ideal, diz a seita, será, depois dos horrores da ditadura do proleta­riado, uma sociedade sem classes nem proprietá­rios, onde todos serão iguais, todos trabalharão, cada qual segundo as suas forças, e cada um rece­berá da sociedade tudo o de que precisar. Será este o paraíso na terra.

96 Este ideal corresponde de Deus?
Este ideal á oposto à vontade aos planos de Deus em pontos essenciais:
a) Deus não quer que este mundo seja um paraíso, e sim um lugar em que ao lado de puras alegrias nós encontremos grandes sofrimentos, e assim, carregando a nossa cruz, nos santifiquemos. Nosso paraíso nos espera na outra vida.
b) Deus quer que cada indivíduo procure o seu bem-estar por seu esforço pessoal, amparado pelo Estado, mas não substituído por ele.
c) Deus quer que entre os homens haja de­sigualdades, as famílias formem classes distintas, umas mais altas que as outras, sem hostilidade re­cíproca, com caridade, e sem exagerada diferença: não deve haver alguns miseráveis, e outros exces­sivamente ricos.

97 Deus quer então que haja pobres e ricos, nobres e plebeus?
Está de acordo com os planos de Deus que existam pobres e ricos, gente humilde e gente importante, mas baseada toda esta hierarquia na justiça e na caridade.

98 Qual a ultima causa da desigualdade entre os homens?
A última causa da desigualdade entre os homens é a sua liberdade.
Dada a natural desigualdade de talentos e virtudes entre os homens, estes só podem ser mantidos num mesmo nível econômico diante uma ditadura de ferro, que suprima toda liberdade e toda iniciativa.

99 Como se chama a tendência que leva o homem a odiar as diferenças sociais, a querer uma sociedade sem classes?
A tendência que leva a querer que todos sejam iguais e a odiar as diferenças de classe cha­ma-se: igualitarismo.

100 Quais são os vícios que alimentam o igualitarismo?
Os vícios que alimentam o igualitarismo são:
a) a inveja, que não tolera que o próximo seja melhor, ou mais sábio, ou mais rico;
b) o orgulho, que não tolera ninguém aci­ma de nós;
c) a soberba, que não se conforma com os planos de Deus.

101 Que manda a justiça social?
A justiça social manda que o Estado providencie que cada família possa conseguir por seu trabalho o necessário para seu sustento, educação de seus filhos e formação de uma reserva para o futuro, de modo que haja o menor número possí­vel de miseráveis, e os ricos não sejam demasia­damente ricos. Assim a sociedade será como uma pirâmide: com pessoas que vivem só de seu tra­balho, pequenos proprietários, pessoas remediadas, ricos, e alguns muito ricos.

102 A justiça social manda que todos sejam iguais em fortuna e posição social?
Não. Que todos os indivíduos e famílias fossem iguais seria uma injustiça social, porque im­portaria na destruição da liberdade, da iniciativa privada e do direito dos filhos a herdar dos pais.
A boa sociedade católica e humana é desigual, hierarquizada.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Governantes e Poderosos, tenhais temor de Deus

"Temos o dever de levantar Nossa voz, de relembrar as grandes verdades da Fé, não somente aos humildes, mas também aos poderosos, aos felizes deste mundo, aos chefes dos povos, aos que são admitidos aos conselhos de governo dos Estados. E de propor a todos as certíssimas sentenças, cuja verdade a história confirmou com caracteres de sangue, como estas: 'O pecado faz a infelicidade dos povos (Prov. 14, 34). 'Os poderosos serão poderosamente atormentados’ (Sap. 6, 7). E também a que está no Salmo 2: 'E agora, ó Reis, compreendei; cientificai-vos, juízes da terra. .... Submetei-vos à lei do Senhor, temerosos de que Ele Se ire, e venhais a perecer fora do caminho da justiça`.

"Essas ameaças fazem esperar as mais duras conseqüências visto que campeia a iniqüidade pública e que a falta principal dos governantes e dos povos consiste na exclusão de Deus e na rejeição da Igreja de Cristo. Desta dupla apostasia decorre a subversão de todas as coisas e a multidão quase infinita de misérias para os indivíduos e as sociedades" (Encíclica Communium Rerum, de 21 de abril de 1909).

Papa São Pio X


terça-feira, 26 de julho de 2011

O terror da Revolução Francesa


Eis a foto de Danton, o revolucionário Ministro da Justiça. Mandava encarcerar os que julgava suspeitos por sua maneira de pensar. Era o modo de aplicar os "Direitos do Homem".

De milhares de casos, selecionei apenas quatro episódios:

1) Jean Paul Marat, conhecido como Marat, “o amigo do povo”, dizia:

“Antes de desaparecerdes suprimi os vossos inimigos e acabai com as vossas vítimas. Caí sobre aqueles que tem carruagens, criados e vestidos de seda. Visitai as prisões, assassinai os nobres, os padres e os ricos. Nada deixei atrás de vós senão sangue e cadáveres!”
(cfr. Pierre Gaxote, “La Revolution Francaise”, Arthène Fayard, Paris, 1966, página 200)

2) O Abade Sicard, mestre dos surdo-mudos de Paris, testemunha ocular dos massacres na Abadia (antigo Mosteiro Beneditino de Saint-Germain-des-Prés, transformado em cárcere político desde 1789), nos relata:

“Matava-se debaixo da janela de minha cela. O grito desesperado das vítimas, o ruído dos sabres decapitando as cabeças, a fúria dos assassinos, tudo isso ressoava em meu coração. (...) Após sumária condenação, os réus eram atirados no meio do pátio e trucidados pela populaça, que frenética gritava: Viva a Nação! Os canibais aplaudiam a até dançavam em torno dos corpos horrivelmente mutilados.”
(Buchez et Roux, “Histoire Parlamentaire de la Revolution Française, vol XVIII, Paris, 1874, página 106)

3) Mártires do Carmelo:

No convento dos religiosos carmelitas, subitamente as portas foram arrombadas por uma malta de bandidos liderada por oito comissários, “les frères rouges de Danton” (os irmãos vermelhos de Danton).

Concitados a renegarem o catolicismo, prestando juramento à Constituição civil do clero, 185 bispos, padres e religiosos preferiram morrer a aderir à igreja cismática criada pela Revolução.

Ao cabo de duas horas, os veneráveis sacerdotes foram chacinados com requintes de crueldade. Ainda hoje são visíveis nas paredes de mármore da igreja, onde ocorreu a ímpia carnificina, as marcas das lanças tintas do sangue daquelas vítimas inocentes.
Canonizados posteriormente pela Igreja, seus nomes encontram-se inscritos, em letras de ouro, no mesmo lugar em que receberam a coroa do martírio.
(cfr. J. B. Weiss, “História Universal”, vol. XVI, Barcelona, 1936, pp.540-1).

4) No cárcere de La Force, destinado exclusivamente às mulheres de má vida, a comuna houve por bem prender distintas damas da nobreza, como Maria Teresa Luiza e Saboya Carignan, Princesa de Lamballe e camareira maior da corte.

Diante do tribunal de sangue lá organizado, a princesa foi intimada a jurar ódio ao rei e à rainha. Como se negasse a semelhante felonia, dois guardas a atiraram no meio da canalha, aglomerada à saída do presídio. Imediatamente, a confidente de Maria Antonieta recebeu um golpe de sabre no rosto, que a prostrou por terra. Seu corpo foi desnudado e mutilado do modo mais ignominioso. Um dos bandidos arrancou-lhe o coração e o comeu, numa bestial demonstração de ódio revolucionário. Sua cabeça decapitada foi colocada sobre uma mesa de taverna, onde se brindou sua morte, e em seguida fincada na ponta de uma lança e levada em desfile pela cidade até a prisão do Templo, para ali ser mostrada à rainha encarcerada.
(cfr. J. B. Weiss, “História Universal”, vol. XVI, Barcelona, 1936, pp.556-7).

(trechos da Revista Catolicismo numero 462 de junho de 1989)

leia também:
http://ograndecombate.blogspot.com/2010/06/os-martires-da-revolucao-francesa-e-o.html

segunda-feira, 25 de julho de 2011

As modas


Em revelações a Jacinta, Nossa Senhora previu uma decadência moral espantosa em modas:

"Os pecados que levam mais almas para o inferno são os pecados da carne."

"Hão de vir umas modas que hão de ofender muito a Nosso Senhor."

"As pessoas que servem a Deus não devem andar com a moda. A Igreja não tem modas. Nosso Senhor é sempre o mesmo."

(Antonio A. Borelli Machado, "As aparições e a mensagem de Fátima conforme os manuscritos da Irmã Lúcia", 31ª edição, p. 66)

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Voce sabia?


VOCÊ SABIA QUE:

- Em 100 anos a República Brasileira teve uma inflação acumulada de 1.395.101.913.787%?

VOCÊ SABIA QUE:

- nas últimas eleições do império, em agosto de 1889, embora contando com inúmeros jornais e centenas de diretórios espalhados por todo o país, o Partido Republicano conseguiu eleger apenas dois deputados?

- a participação popular da proclamação da república foi praticamente nula?

- o golpe de 15 de novembro de 1889 foi obra de um número insignificante de ativistas e mistificadores revolucionários?

- naquela data fatídica o próprio Marechal Deodoro da Fonseca não pretendia derrubar a monarquia, mas apenas o Ministério chefiado pelo Visconde de Ouro Preto e que seu tresloucado ato foi conseqüência de um boato de nomeação de seu inimigo Silveira Martins para a Chefia do Ministério?

- embora o Decreto número 1, de 15 de Novembro de 1889 declarasse o governo republicano provisório até o pronunciamento definitivo do voto da nação, jamais foi realizado um plebiscito que “legitimasse” a Republica?

- o Marechal Floriano Peixoto afogou no sangue as tentativas de restauração monárquica?

- as vítimas mais clamorosas do republicanismo foram os alunos da Escola Naval, passados a fio de espada por ordem de Floriano Peixoto?

- com a complacência do “Marechal de Ferro” – Floriano Peixoto – navios estrangeiros bombardearam navios da Marinha de Guerra do Brasil numa vergonhosa intromissão em nossos assuntos internos?

- os golpistas de 1889 copiaram não só o modelo político norte-americano, mas também a bandeira, que não foi aceita, e a denominação de “Estados Unidos do Brasil”?

- durante 99 anos a republica manteve na ilegalidade os monarquistas temerosa de que o povo brasileiro chamasse de volta nosso Imperador?

- durante esses 100 anos, nas escolas e universidades, bombardeavam argumentos contra a monarquia, para “educar” os jovens a aceitar a república, escondendo todas as glórias do Brasil Império?

- Até na constituição do Brasil havia uma cláusula pétrea que deixava os monarquistas na ilegalidade? Somente em 1988 essa cláusula pétrea foi revogada, quando as pessoas já estavam totalmente instruídas na educação republicana.

VOCÊ SABIA QUE:

- sob o regime de D. Pedro II o Brasil tinha uma moeda estável e forte, possuía a segunda Marinha de Guerra do mundo, teve os primeiros Correios e Telégrafos da América, foi uma das primeiras Nações a instalar linhas telefônicas e o segundo país do globo a ter selo postal?

- o Parlamento do Império ombrava com o da Inglaterra, a diplomacia brasileira era uma das primeiras do mundo, tendo o Imperador sido árbitro em questões da França, Alemanha e Itália?

- em 67 anos de Império tivemos uma inflação média anual de apenas 1,58%, contra os 10% nos primeiros 45 dias da República, 41% em 1890 e 50% em 1891?

- a unidade monetária do Império, o mil réis, correspondia a 0,9 (nove décimos) de grama de ouro, equivalente ao dólar a à libra esterlina?

- embora o Orçamento Geral do Império tivesse crescido dez vezes entre 1841 e 1889, a dotação da Casa Imperial se manteve a mesma, isto é 800 contos de réis anuais? E que Dom Pedro II destinou 1/4 de seu orçamento pessoal em benefício das despesas da guerra do Paraguai?

- 800 contos de réis anuais significava 67 contos de réis mensais e que os republicanos ao tomarem o poder estabeleceram para o presidente provisório um ordenado de 120 contos de réis por mês?

- uma das alegações dos republicanos para a derrubada da Monarquia era o que eles chamavam de custo excessivo da Família Imperial? E que esta recebia a metade do ordenado do primeiro presidente republicano?

- Dom Pedro II se recusou a aceitar a quantia de 5 mil contos de réis, oferecida pelos golpistas republicanos, quando do exílio, mostrando que o dinheiro não lhes pertencia, mas sim ao povo brasileiro?

- 5 mil contos de réis era o equivalente a 4 toneladas e meia de ouro? Quantia que o Imperador recusou quando deixou ao País um último benefício: o grande exemplo de seu desprendimento. Infelizmente esse exemplo não frutificou na República, como seria necessário.

- no Império o salário de um trabalhador sem nenhuma qualificação era de 25 mil réis? E que isso equivalia em agosto de 1990 a 6 salários mínimos?

PAÍSES QUE HOJE SÃO MONARQUISTAS:

Inglaterra, Japão, Canadá, Espanha, Holanda, Suécia, Bélgica, Austrália, Dinamarca e Noruega.

(Na foto acima: Dom Pedro II)

Para quem se interessar em saber mais, pode visitar a Casa Imperial,
cujo endereço está no site:
http://www.monarquia.org.br/

quarta-feira, 29 de junho de 2011

A invasão holandesa no Brasil

Entre 1630 e 1654, calvinistas holandeses invadiram nosso território, trazendo na alma sentimentos de ódio ao Catolicismo.

Nos meses de julho e outubro de 1645, esses hereges assassinaram cruelmente 60 pessoas nas localidades de Cunhaú e Uruaçu, no Rio Grande do Norte.

Cunhaú era um engenho de açúcar, em torno do qual formou-se uma vila. No dia 15 de julho de 1645, o delegado holandês Jacó Rabe convocou toda a população para se reunir na igreja e ordenou ao vigário André de Soveral que celebrasse uma Missa. Prevendo o pior, o padre advertiu: aquele que tocasse nele ou no altar ficaria com os braços secos e morreria de modo atroz. Logo depois, os holandeses fecharam as portas da igreja e mataram todos os presentes. Dias após, a maldição se cumpriu: os assassinos ficaram com seus braços ressecados e, em desespero, mataram-se uns aos outros.

No dia 2 de outubro, Jacó Rabe com 200 índios invadiu a aldeia Uruaçu e trucidou várias pessoas, não permitindo que os cadáveres fossem sepultados. Após 15 dias, os parentes foram ao local e encontraram os restos mortais frescos e incorruptos, com o sangue a brilhar como se as vítimas acabassem de ser mortas. Pairava no ar um odor agradável e intenso, que perdurou por muito tempo e à noite. No povoado, os parentes ouviram uma música celestial que provinha do local do sepultamento. Pouco depois, os holandeses, junto com o comandante Jacó Rabe, foram passados a fio de espada.

Transita em Roma, junto à Sagrada Congregação para as Causas dos Santos, um processo de canonização desses 60 mártires de Cunhaú e Uruaçu.

(Revista Catolicismo Outubro de 2003)

domingo, 26 de junho de 2011

Como se vive é como se morre


Morte de um pecador (Stalin)

Eis como Svetlana Alliluyeva, filha do ímpio Stalin –– o tirano que durante décadas dominou a Rússia soviética ––, narra a morte de seu pai, no livro Vinte cartas a um amigo:

“A respiração fazia-se cada vez mais ofegante. Nas últimas doze horas tornou-se claro que a fome de oxigênio crescia. A face escurecia e se alterava. Gradualmente seus traços tornavam-se irreconhecíveis, os lábios negros. Na última hora, ele simplesmente foi se sufocando. A agonia foi espantosa. Um homem era estrangulado sob os olhares de todos. Já no último minuto, de repente, ele abriu os olhos e os voltou para todos aqueles que estavam à sua volta. Foi um olhar terrível, talvez louco, talvez furibundo e cheio de terror em face da morte. Foi uma coisa incompreensível e horrível, que não entendo, mas não posso esquecer: ele ergueu improvisadamente para o alto o braço esquerdo e com ele apontou para o alto ou talvez ameaçou a todos os que ali estavam presentes. O gesto permaneceu incompreensível, mas foi cheio de ameaça... No instante seguinte a alma, feito o último esforço, se destacou do corpo”.


Morte de uma santa (Santa Teresinha)

E Olhando para um crucifixo, exclamou:

"’Ó... Amo o meu Deus, eu Vos amo’.

Foram essas suas últimas palavras. Mal acabava de as proferir quando reergueu-se de improviso, como se a chamasse uma voz misteriosa, abriu os olhos e fixou-os, brilhantes de paz celestial e de indizível júbilo, um pouco acima da imagem de Nossa Senhora. Este olhar prolongou-se pelo espaço de um Credo, e sua alma ditosa voou então para o Céu’” (História de uma Alma, Vozes, Petrópolis, 6ª ed. brasileira, 1927, p. 342).

Revista Catolicismo (Outubro de 1992)

quarta-feira, 1 de junho de 2011

Nossa Senhora de La Almudena, Padroeira de Madri


A origem da atual capital espanhola se perde na noite dos tempos. Roma ainda não havia sido fundada e já Madri se orgulhava de sua Antigüidade.
Foi ela das primeiras vilas na Península Ibérica a abraçar o Cristianismo, quando, segundo a tradição, São Tiago aí pregou o Evangelho. Com seus discípulos, construiu ele um modesto templo, dedicado à Santíssima Virgem, no qual deixou uma imagem da mesma Senhora, esculpida em madeira.

Perseguida pelos romanos, a Igreja aí estabelecida viu inúmeros dos seus filhos sofrerem o martírio. Os invasores godos, porém, após vencerem os romanos, curvaram-se ao doce jugo do cristianismo, e uma igreja substituiu a primitiva capela de São Tiago.

No início do século VIII um traidor, o conde D. Julián - nome execrável nos anais da história da Espanha - por vingança, abriu as portas da Península aos árabes do norte da África. A horda invasora, sempre vitoriosa, aproximava-se de Madri no transcurso do ano 714.

Clero e povo, alvoroçados, se reuniram então em torno da venerada imagem da Mãe de Deus para suplicar-lhe auxílio naquela hora de angústia, certos de que seriam atendidos.

Entretanto, a vila não dispunha de meios para resistir. Qual seria, nessas condições, o destino da tão honrada escultura? Muito provavelmente seria destruída, tal como os ímpios filhos de Mafoma vinham fazendo em todo seu devastador percurso. A única saída, concordaram todos, seria escondê-la num vão da muralha da cidade. E assim se fez, confiados em que mais tarde a pudessem resgatar.

Os inimigos triunfantes, dispostos a permanecer em Madri para sempre, transformaram a igreja em mesquita, parecendo que o nome da Virgem nunca mais seria invocado naquele local, onde distribuíra tantas graças.

Velas postas há 369 anos aparecerem milagrosamente acesas!
Trezentos e sessenta e nove anos se passaram quando D. Alfonso VI, rei de Castela, com o auxílio do celebérrimo D. Rodrigo Díaz de Bivar, El Cid Campeador, derrotou os mouros em Toledo, tornando-se viável a reconquista de Madri, efetivada pouco depois.
Assim, em 1083 a antiga igreja foi reconsagrada e novamente dedicada à Rainha dos Céus.

Os habitantes locais ainda se recordavam, embora de modo muito confuso, de que uma milagrosa imagem da Virgem fôra escondida na muralha por ocasião da tomada da vila, propondo-se o próprio monarca católico a encontrá-la. Ordenou, por um pregão, que durante nove dias todos os nobres, burgueses e povo da vila, por meio de jejuns, orações e penitências, suplicassem à Virgem que se dignasse indicar o local que abrigava sua santa imagem.

No último dia da novena, 9 de novembro de 1083, uma concorrida procissão dirigiu-se à igreja. Dela participavam D. Alfonso VI, D. Sancho de Aragão e Navarra, os infantes, cardeal D. Fernando e D. Martin, numerosos eclesiásticos e grandes cavaleiros. Entre todos se destacava El Cid, herói nacional, vencedor de sete reis mouros!

Após celebração de Missa solene, o portentoso cortejo começou a percorrer a vila, em piedosa investigação. Mas nada sucedeu de extraordinário. Decepção, desalento... Teria a Virgem sido surda a tão piedosa súplica?

Não! Eis que, durante essa mesma noite, a muralha dividiu-se por si só, deixando aparecer em um improvisado nicho a milagrosa imagem, tão fresca como se tivesse sido ali depositada no dia anterior. E - milagre maior! - acesas todas as velas, a seu lado colocadas há quase quatro séculos por confiantes devotos!

Nova procissão, ainda mais solene e jubilosa que a anterior, conduziu com todo carinho a bendita Santa Maria ao seu antigo altar.
D. Alfonso VI quis que esta passasse a se chamar Santa Maria la Real de la Almudena, por haver permanecido tantos séculos escondida em um local da muralha perto do almudin (mercado ou armazém) que os mouros ali haviam instalado. Sob a mesma invocação, a Santíssima Virgem foi ainda proclamada Padroeira de Madri.

Trigo providencialmente descoberto salva cristãos

Poucos anos depois da morte de Alfonso VI, Madri foi novamente atacada pelos mouros, comandados pelo terrível Alí-Aben-Jucet. Outra vez a cidade se achava inteiramente despreparada para a defesa, embora seus habitantes procurassem desesperadamente salvaguardar as muralhas.

Tranqüilo, Alí Jucet determinou manter o cerco à cidade, até que a fome obrigasse o povo à rendição. Não havendo qualquer esperança humana, os sitiados suplicaram à Mãe de Deus que lhes valesse. E o atendimento não tardou: uma terrível peste assolou o campo inimigo com tanto rigor, que obrigou os não atingidos a fugir espavoridos.

Vinte anos mais tarde, novo assalto. Os sarracenos sitiaram a cidade, esperando que esta se rendesse pela escassez de alimentos. Quando já não havia mais o que comer, uns meninos que brincavam junto à igreja, abriram um buraquinho num de seus pilares. Imediatamente por ele começou a escorrer um pó branco que se verificou ser farinha de trigo, de ótima qualidade. Derrubada parte da parede lateral da igreja, onde o tal pilar se encostava, descobriu-se um desconhecido silo. A abundância do trigo encontrado levou os espanhóis a jogar parte dele sobre os mouros, numa demonstração de fartura, para que perdessem a esperança de subjugá-los pela fome. O exército inimigo, uma vez mais, retirou-se humilhado. Um quadro de Alonso Cano, na igreja, lembra até hoje esse fato. E em outra pintura, no mesmo local, está retratado o milagre narrado abaixo.

Criança salva milagrosamente do poço

A esta imagem recorreu Santo Isidro, o Lavrador, quando seu filho caiu num poço. Assim que rezou à Virgem, as águas do mesmo começaram a subir suavemente até que o santo pai pôde resgatar o filho são e salvo.

A milagrosa imagem é esculpida em madeira odorífica, que lembra os cedros do Líbano; e a pintura é tão consistente que mesmo os desgastes naturais do tempo não conseguiram deteriorá-la.

Uma particularidade surpreendente com relação a essa imagem - comprovada historicamente - é a impossibilidade de se conseguir uma cópia idêntica ao original. Muitos pintores célebres tentaram reproduzi-la, mas todos confessaram seu fracasso.

Reis tornam-se escravos de Nossa Senhora

Em 29 de agosto de 1640, instituiu-se na igreja de Santa Maria a Esclavitud de la Virgen de la Almudena, constituindo-se seu primeiro escravo o próprio rei, D. Felipe IV. Exemplo seguido depois por seus sucessores.
A Virgem de la Almudena é uma das nove imagens objeto de devota prática por parte das Rainhas da Espanha. Estas, quando estão para dar à luz, costumam visitar tais imagens rogando a Maria Santíssima que lhes conceda um bom parto, colocando sob Sua proteção o fruto de suas entranhas. Essa prática foi imitada por senhoras de todas as condições até quase nossos tristes dias, em que o neopaganismo se esforça por destruir tudo quanto é santo e venerável.

Texto escrito por Plínio Maria Solimeo para a Revista Catolicismo.

Fonte de referência:
* Conde de Fabraquer, Las Imágenes de la Virgen aparecidas en España, Imprenta y Litografía D. Juan José Martinez, vol. I, Madrid, 1861.

sábado, 30 de abril de 2011

Rezem o terço. Rezem por nós.


Agora no mês de maio de 2011 fazem 94 anos da primeira aparição de Nossa Senhora em Fátima. Nossa Senhora fez um pedido à humanidade: rezem o terço todos os dias. Quem a atendeu? Depois disso se teve notícias de muitas outras aparições de Nossa Senhora por todo o mundo. Imagens de Nossa Senhora derramaram lágrimas e até lágrimas de sangue... No nosso querido Brasil, fontes seguras comentam que Nossa Senhora apareceu até no agreste do Estado de Pernambuco. Nessa aparição especificamente alguém atirou uma pedra e a mão de Nossa Senhora começou a sangrar. Os videntes perguntaram o que significava isso? Então Nossa Senhora respondeu: “Isto é o sangue que inundará as ruas do Brasil”. (leiam:
http://www.sacralidade.com/igreja2008/0178.castigos.html)

Assim aproveitemos o mês de maio para difundir a reza do terço.
Neste mês tão especial, eu e meus amigos faremos uma viajem. Portanto no mês de maio não haverá postagens. Mas no início de junho as postagens voltarão.

Pedimos que todos rezem muito por nós, pois precisamos muito de orações.

Rezaremos por todos e pelas suas famílias.
Rezaremos pelos Blogs e Sites Católicos.
Rezaremos por todos os que de uma forma ou de outra nos ajudam a fazer apostolado.
Desejamos de todo o coração que Nossa Senhora abençoe a todos.

Salve Maria!

Jorge de Almas Castelos (http://almascastelos.blogspot.com)
Ângelo Miguel (http://ograndecombate.blogspot.com)
(http://vandeanosdafe.blogspot.com)
Catarina Alvim (http://casapiadossantosanjos.blogspot.com)
Miguel Cassandro (http://variedadesmille.blogspot.com)
Francisco Spiegel (http://jovensenamoros.blogspot.com)
Israel Maná (http://cavaleirosdesantamaria.blogspot.com)
Paulo de Tebas (Irmandades dos Blogs Católicos em inglês e espanhol)

- - - - - - - - - - - - - - - -
Irmandade dos Blogs Católicos:
http://irmandadedosblogscatolicos.blogspot.com

Fraternity of Catholic Blogs:
http://fraternityofcatholicblogs.blogspot.com

Hermandad de Blogs Catolicos:
http://hermandaddeblogscatolicos.blogspot.com

domingo, 27 de março de 2011

Santificar a mão, golpeando


Se fosse eu quem diria isso, certamente seria muito criticado, mas não fui eu e sim São João Crisóstomo. Peço para não fazerem isso por que nos dias de hoje a lei não permite tal atitude. Transcrevo apenas com o intuito de mostrar o que pensam os Santos.

São João Crisóstomo diz:

"Se na rua ou na praça ouves alguém que blasfema contra Deus, vai a ele, increpa-o; e se é necessário, não duvides em golpeá-Lo. Dá-lhe uma bofetada no rosto, fere-lhe a boca, santifica tua mão com tal pancada ... ; e se com isto arrostas a morte, feliz é a tua sorte" (palavras para os homens do século V, época do Doutor da Igreja abaixo indicado - apud Pe. Eduardo F. Regatillo, S.J.,em "Un marqués modelo - el siervo de Dias Claudio Lopez Bru, segundo marqués de Cornillas", Ed. Sal Terrae, Santander, Espanha, 1950 - p. 130).

fonte: Revista Catolicismo número 534 - Junho de 1995 – Ano XLV

segunda-feira, 21 de março de 2011

Hoje há mais bruxas que na Idade Média?


Na Inglaterra, segundo o censo oficial de 2001, 31.000 mulheres se declararam bruxas por profissão.

Mas, o número real hoje seria muito maior de acordo com o vaticanista de “La Stampa” Giaccomo Galeazzi, em virtude do impulso comunicado às artes diabólicas pela série de filmes e novelas do gênero Harry Potter.

Elizabeth Dodd, ex-bruxa de Oxford convertida ao catolicismo, denunciou que o retorno do paganismo e da magia abre as portas a um mundo obscuro do ocultismo e do satanismo, por vezes ligado ao crime ritual. A Catholic Truth Society de Londres publicou o livrinho “Wicca and Witchcraft, understanding the dangers”, alertando os pais de família para as ameaças contidas nessas práticas condenadas pela Igreja.

Parece que o mundo laicista acabou gerando mais bruxas e contatos com o inferno dos que havia na Idade Média.

Publicação do Blog:

OBS: "Harry Potter leva ao satanismo, diz ex-bruxa" (vide foto acima).

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Universidade Casa de Bruxas


Se houvesse uma universidade que ensinasse as pessoas a serem católicas verdadeiramente e mostrasse o caminho da santidade, certamente estaria cercada de perseguições. Mas [...] "esta é a vossa hora e o poder das trevas" (Lc 22:53). Já ouviram falar de universidade Casa de Bruxa? Mas ela existe.

[...] “Quem passa pela R. Almirante Protógenes, em Santo André, costuma ficar surpreso ao se deparar com um castelo. É ali que funciona a Universidade Livre Holística Casa de Bruxa, que já possui 14 anos de história.”

“Iniciativa de Tânia Gori, que começou seus estudos nas Ciências Ocultas com sua avó, a casa conta com cerca de 800 alunos e oferece cursos livres e profissionalizantes, relacionados a terapias alternativas, qualidade de vida e desenvolvimento pessoal.”

[...] “A Casa de Bruxa também atua com oráculos, atendimentos ambulatoriais e possui uma loja de produtos.”

“Sobre a razão que levou à escolha do nome, Tânia explica que trata-se de uma homenagem aos
ancestrais que iniciaram as terapias alternativas antes da Medicina tradicional, aos grandes filósofos e cientistas e às muitas outras pessoas que se aventuraram na ciência da natureza.”

E ainda diz: “Com certeza os renomados cientistas de hoje foram as bruxas e os magos de ontem”.

Os textos entre aspas são entrevista publicada pela Revista IN número 227 – outubro de 2010 – ano 22.

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Somos estrelas nesse mundo tenebroso


A noite vem descendo devagarzinho.
O homem atento, observa na quietude do silêncio.

Uma estrela aqui, outra ali e outra mais acima.
Que distância elas tem uma das outras...
Se elas pudessem pensar talvez pensariam:
“Estou no isolamento”.

Mas aqui debaixo, na Terra, quando
observamos o conjunto das estrelas,
elas não nos dão a impressão de isolamento.
Mas sim de harmonia celeste.
E no entanto elas estão tão distantes uma das outras...

Assim são os bons nos tempos de trevas...
Parecem isolados... sozinhos...
Mas no conjunto do mundo são uma harmonia que brilha na noite...

Ouvimos aqui e acolá noticias de pessoas conservadoras...
fatos dignos de nota...
resistência ao mundo moderno e ateu.

Mas... Mas... Mas...
Do alto do Céu, os anjos olham para nós
Vêem um mundo escuro como a noite,
mas estrelado pelas almas dos que sofrem perseguição por amor à Deus.
Uma linda constelação de almas brilhantes.

No auge do sofrimento, do isolamento, da perseguição moral silenciosa e cruel,
haverá aqueles que pensam: “Estou sozinho, no meio desse mundo de pecados?”

E é isso que nossos inimigos quer que pensemos.
Que estamos sozinhos, isolados e portanto liquidados.
Até silenciam as noticias de que em toda a parte do mundo, nos estados e nas cidades,
a juventude ainda procura a música clássica,ainda há o gosto pelos trajes tradicionais, ainda há os que rezam e resistem aos disparates da modernidade.

E nesse contexto eu brado de coração:
“Não estamos sós. E sabemos disso”.
É só ir às salas de concertos musicais e vemos que estão repletas de jovens de
todas as idades. Em alguns ambientes o gosto pelos trajes tradicionais ainda vive.
Longe das pessoas medíocres, ainda há os que gostam da boa e saudável conversa.
É só procurarmos que achamos tudo isso.

As trevas desse mundo contemporâneo somente serviram
para realçar o céu estrelado das almas católicas que ainda anseiam por
Civilização Cristã.

Só quem é da noite não vê a luz das almas-estrêlas, como
os morcegos e as corujas do mundo moderno. Esses
procuram o negrume da noite, vivem para isso.

Apesar do isolamento que muitas pessoas sentem,
até mesmo entre as próprias pessoas que as rodeiam, se procurarem ainda vão encontrar suas "irmãs-estrêlas", mas é preciso procurar, ir nos ambientes onde os gostos
bons convergem para o mesmo fim.

Mas tenhamos sempre claro que são estrelas que precisam ser encontradas, pois vivemos na noite da história, e numa noite das mais escuras e tenebrosas.

PORÉM, jamais nos esqueçamos que depois da noite, vem o sol. E no sol não se enxergarão mais estrelas, apesar delas sempre continuarem a existir, por que TUDO será Luz.

E ninguém poderá deter a Aurora do bom senso
e do bom gosto.

Termino clamando pela mais bela das Estrêlas:

Stela Matutina, ora pro nobis
(Estrela da Manhã, Rogai por nós – trecho da Ladainha de Nossa Senhora)

Autoria do meu irmão Jorge do Blog Almas Castelos

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Quem não tem uma espada, venda seu manto e compre uma

Depois do que já se disse neste Blog, algumas pessoas me perguntaram sobre o real sentido da caridade cristã. E também me colocaram a seguinte questão: se a corrupção do mundo moderno já não corrompeu também o significado de caridade cristã.

Esclareço que ser caridoso, não significa ser pacifista, e nem tolerar o erro. Com os homens de boa vontade - todo sacrifício vale a pena. Com os de má vontade que Deus utilize sua Infinita Justiça. Pelos idos anos de 1800, quando o Beato Papa Pio IX reinava no Trono de Pedro, ele disse: "O Homem se encontra tão afastado de Deus, que é preciso catequizá-lo novamente."
Imaginem. Em pleno século XIX!!!!!

Quem diria no mundo de hoje onde esqueceu-se totalmente da religião e o homem cada vez mais só pensa nos prazeres desta vida, e por isso CRIOU (MELHOR SERIA DIZER: INVENTOU) UM DEUS A SUA MANEIRA, que não pune, que não vinga, que é sempre bondoso e perdoa tudo. Então "podemos pecar a vontade.... pois Deus é muito bom e não pune ninguém"... Inferno ? Ah! Isso é uma coisa do passado... Hoje em dia, nem confissão precisa... é só ter bom coração que Deus perdoa tudo.... INFELIZES OS QUE PENSAM DESSA FORMA.

NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, É VERDADEIRAMENTE DEUS, E JAMAIS FALHOU NA CARIDADE CRISTÃ, NEM MESMO QUANDO CHICOTEOU OS VENDILHÕES DO TEMPLO.

Conto uma pequena história para exemplificar uma citação do evangelho:

São Venceslau, príncipe da atual Republica Checa, era filho de Wratislau e de Draomira. Era um príncipe cristão e como tal conduziu seu povo nos princípios do cristianismo.Falecendo seu pai, sua mãe – mulher má e anti-cristã – desencadeou uma grande e desumana perseguição aos cristãos, tirando o seu próprio filho do trono à força.Mas São Venceslau ainda continuava perseverante ao cristianismo e isso atraiu o ódio de sua mãe Draomira que estava tão transtornada de ódio que juntamente com seu outro filho Boleslau arquitetou um plano diabólico para acabarem com sua vida. No dia 28 de setembro de 929, durante a festa de batismo de seu sobrinho, enquanto todos festejavam, Venceslau retirou-se para a capela para rezar. Draomira sugeriu ao filho Boleslau que aquele seria o melhor momento para matar o próprio irmão. Boleslau invadiu a capela e apunhalou o irmão no altar da igreja.

Daí, compreende-se bem o que Nosso Senhor disse:

"Julgais que vim trazer a paz à terra? Não, vos digo eu, mas a divisão; porque de hoje em diante, haverá numa casa cinco pessoas, divididas três contra duas, e duas contra três. O pai contra o filho, e o filho contra o pai; a mãe contra a filha, e a filha contra a mãe; a sogra contra a nora, e a nora contra a sogra" (Luc. XII, 51-53).

"Não julgueis que vim trazer a paz à terra; não vim trazer a paz, mas a espada. Porque vim separar o filho de seu pai, e a filha de sua mãe, e a nora de sua sogra. E os inimigos do homem serão os seus próprios domésticos" (Mt. X, 34-36).

"Agora, quem não tem uma espada, venda o manto e compre uma" (S.Lucas XXII, 36)

"Maldito aquele que não ensangüentar a sua espada" (Jer. XLVIII, 10)


Apóstolo São Tiago com a espada lutando contra os mouros.

Crédito da postagem: http://almascastelos.blogspot.com/2010/07/quem-nao-tem-uma-espada-venda-seu-manto.html

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Das bem-aventuranças evangélicas e “O Combate”


É bom esclarecer o que alguns têm me questionado: “Gosto muito de todas as postagens do seu Blog, inclusive as de catecismo. Mas estou com saudades das histórias dos grandes combates da Igreja e dos Católicos.”
Respondo: É bom saber por que os inimigos da Igreja odeiam a Igreja e os Católicos. E não é difícil de responder: a prática das virtudes, das bem-aventuranças, o caminho da santidade causa ódio nos que odeiam a Igreja. Um católico que vive de conformidade com o mundo não é odiado, muito pelo contrário, ainda é elogiado pelos que odeiam a virtude. A maior vitória dos inimigos da Santa Igreja é fazer com que um católico viva de conformidade com o mundo moderno. Um católico que vive no meio do satânico rock pesado (heavy metal), que usa os trajes escandalosos da moda, que aceita todos os disparates da modernidade... que ódio esse católico atrairá?

Mas imaginem um católico de princípios; que não segue a moda escandalosa; que ouve músicas boas e repudia as más; que vai à missa e se confessa; que pratica as virtudes, que constituiu sua família nas bases sólidas do cristianismo... Esse católico e sua santa família é como um navio “couraçado” que bate de frente com as tendências revolucionárias do mundo de hoje... Ele acaba sendo invejado e ao mesmo tempo odiado...

De nada adiantaria eu fazer as postagens se essas não fossem um convite à prática da virtude e do caminho da santidade. Sendo assim, os convido para o maior de todos os combates: o combate ao pecado com vistas a uma vida santa.


As bem-aventuranças evangélicas são oito:
1 — Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino do Céu.
2 — Bem-aventurados os mansos, porque possuirão a Terra.
3 — Bem-aventurados os que choram, porque serão consolados.
4 — Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque serão saciados.
5 — Bem-aventurados os misericordiosos, porque encontrarão misericórdia.
6 — Bem-aventurados os puros de coração, porque verão a Deus.
7 — Bem-aventurados os pacíficos, porque serão chamados filhos de Deus.
8 — Bem-aventurados os que sofrem perseguição por amor da justiça, porque deles é o reino do Céu.

Jesus Cristo propôs as bem-aventuranças para fazer detestar as máximas do mundo e para convidar a amar e praticar as máximas de seu Evangelho.

O mundo chama bem-aventurados aqueles que abundam em riquezas e honras, que vivem alegremente e não têm nenhuma ocasião de sofrer.

Os pobres de espírito, segundo o Evangelho, são os que têm o coração desapegado das riquezas; delas fazem bom uso, se as possuem; não as procuram com solicitude, se não as têm; e sofrem com resignação sua perda, se lhes são tiradas.

Os mansos são aqueles que tratam o próximo com brandura e sofrem com paciência os defeitos e as ofensas que deles recebem, sem querela, ressentimento ou vingança.

Os que choram, e no entanto são chamados de bem-aventurados, são os que sofrem resignados as tribulações e se afligem pelos pecados cometidos, pelos males e pelos escândalos que se vêem no mundo, pela ausência do paraíso e pelo perigo de perdê-lo.
Os que têm fome e sede de justiça são aqueles que desejam ardentemente progredir cada vez mais na graça divina e na prática das obras boas e virtuosas.

Os misericordiosos são aqueles que amam a Deus e, por amor de Deus, o próximo, compadecem-se das suas misérias espirituais e corporais e procuram socorrê-lo segundo as suas forças e o seu estado.
Os puros de coração são aqueles que não têm nenhum afeto ao pecado, se afastam dele e evitam sobretudo toda sorte de impureza.

Os pacíficos são aqueles que conservam a paz com o próximo e consigo mesmos e procuram estabelecer a paz entre aqueles que estão em discórdia*.
Os que sofrem perseguição por amor da justiça são aqueles que suportam com paciência os escárnios, censuras e perseguições por causa da Fé e da lei de Jesus Cristo.

Os diversos prêmios prometidos por Jesus Cristo nas bem-aventuranças significam todos, sob diversos nomes, a glória eterna do Céu.
As bem-aventuranças não nos alcançam somente a eterna glória do paraíso, mas são também meios de conduzir neste mundo uma vida feliz, tanto quanto possível. Certamente os que seguem as bem-aventuranças recebem já alguma recompensa ainda nesta vida, porque gozam de uma paz e um contentamento internos que são o princípio, embora imperfeito, da felicidade eterna. Os que seguem as máximas do mundo não são felizes, porque não têm a verdadeira paz de alma e correm o perigo de se condenar.
_____
Traduzido do Catechismo Maggiore promulgato da San Pio X, Roma, Tipografia Vaticana, 1905, Edizione Ares, Milano, pp. 212-215.

Nota da redação:*Evidentemente não se trata de uma paz a qualquer preço, mas sim daquela que é fruto da justiça. Dando-se a Deus o louvor que Ele merece, e a cada um o que é seu, age-se com justiça e se obtém a paz. De um mundo baseado nas ofensas a Deus, como o nosso, não se pode esperar uma paz verdadeira.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Dos dons do Espírito Santo


Os dons do Espírito Santo são sete: 1º o dom da Sabedoria; 2º do Entendimento; 3º do Conselho; 4º da Fortaleza; 5º da Ciência; 6º da Piedade; 7º do Temor de Deus.

Os dons do Espírito Santo servem para nos confirmar na Fé, na Esperança e na Caridade; e para nos tornar prontos aos atos das virtudes necessárias para conseguir-se a perfeição da vida cristã.

A Sabedoria é um dom com o qual nós, elevando a mente acima das coisas terrenas e frágeis, contemplamos as eternas, isto é, a eterna Verdade que é Deus, comprazendo-nos com Ele e amando-O, pois consiste em todo nosso bem.

O Entendimento é um dom com o qual nos é facilitada, tanto quanto é possível a um homem mortal, a inteligência da verdadeira Fé e dos divinos mistérios, os quais não podemos conhecer com a luz natural de nosso intelecto.

O Conselho é um dom com o qual, nas dúvidas e incertezas da vida humana, conhecemos o que mais convém para a glória de Deus, à nossa salvação e à do próximo.

A Fortaleza é um dom que nos incute valor e coragem para observar fielmente a santa lei de Deus e da Igreja, superando todos os obstáculos e os assaltos dos nossos inimigos.

A Ciência é um dom com o qual julgamos retamente as coisas criadas e conhecemos o modo de bem usá-las e de as dirigir ao fim último que é Deus.

A Piedade é um dom com o qual veneramos e amamos a Deus e os Santos, e conservamos um ânimo pio e bondoso para com o próximo por amor de Deus.

O Temor de Deus é um dom que nos faz reverenciar a Deus e temer ofender a sua Divina Majestade, e que nos afasta do mal, incitando-nos ao bem.

Catechismo Maggiore promulgato da San Pio X, Roma, Tipografia Vaticana, 1905, Edizione Ares, Milano.